AS Notícias Online
HOME ESPORTE GERAL POLÍCIA POLÍTICA EMPREGOS MULHERES AGENDA COLUNISTAS FOTOS VÍDEOS CONTATO
Boa tarde - Itabira, domingo, 11 de abril de 2021 Hora: 12:04

JUSTIÇA
Saiba como concorrer ao Selo Mulheres Libertas
19/03/2021

Iniciativa inédita certifica pessoas e instituições que trabalham pelo combate à violência doméstica

Desembargadora Ana Paula Caixeta considera ser relevante dar visibilidade a iniciativas que combatam a violência doméstica e familiar contra a mulher

O Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) lançou no último dia 12 o Selo Mulheres Libertas. A iniciativa inédita é da Coordenadoria da Mulher em Situação de Violência Doméstica e Familiar (Comsiv) que está com as inscrições abertas aos pretendentes ao título.

O selo tem por objetivo certificar pessoas físicas e jurídicas, com atuação no setor público ou privado, e iniciativas da sociedade civil que contribuem para a prevenção, o combate e a punição da violência praticada contra as mulheres. Ele será outorgado após candidatura dos interessados ou por indicação formulada, "ex officio", pela Comsiv.

Para receber o selo, as pessoas físicas ou jurídicas, com atuação no setor público ou privado, bem como ONGs, devem apresentar trabalhos e projetos inseridos no âmbito de atividades trabalhistas, empresariais e educacionais.

Tal iniciativa deve contribuir para a prevenção, o combate e a punição da violência praticada contra as mulheres, no âmbito das relações domésticas e familiares, bem como contribuam para alcançar a igualdade de gênero e empoderar todas as mulheres e meninas.

A candidatura deve ser apresentada por meio do preenchimento do formulário contido no Anexo II da Portaria Conjunta 1162/2021 , com posterior envio ao endereço eletrônico comsiv@tjmg.jus.br .

Devem ser apresentados formulário de candidatura ao selo, o resumo do projeto, com a identificação de seus objetivos, de sua estrutura e metodologia, além de cópia dos documentos de identificação da pessoa física ou jurídica que o promove, bem como dos respectivos sócios, no caso de sociedade empresarial.

A outorga do selo será realizada mediante o julgamento de, no mínimo, 2 (dois) membros integrantes da Comsiv. O resultado consistirá na atribuição de notas tendo como parâmetros se o objetivo do selo foi atingido.

Se atingidos 70 pontos, o projeto será recomendado e encaminhado à Comsiv para deliberação.

O selo tem por objetivo certificar pessoas físicas e jurídicas e iniciativas da sociedade civil que contribuem para a prevenção e o combate à violência praticada contra as mulheres

A desembargadora Ana Paula Nannetti Caixeta, superintendente da Comsiv comenta que o TJMG quer contribuir para uma sociedade não violenta e com a disseminação de boas práticas em ações e projetos que combatam a violência doméstica e familiar contra a mulher, capacitando-a para o trabalho que proporcione uma vida digna, preservando a autoestima e valorizando o auto cuidado em todos os setores.

Ascom- TJMG








INFORMAÇÃO COM RESPONSABILIDADE! Whatsapp: (31) 9 8863-6430
E-mail: contato@asnoticiasonline.com.br
AS Notícias Online 2021. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvedor: SITE OURO

Copyright © 2017 - AS Notícias Online - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.