AS Notícias Online
HOME ESPORTE GERAL POLÍCIA POLÍTICA EMPREGOS MULHERES AGENDA COLUNISTAS FOTOS VÍDEOS CONTATO
Boa tarde - Itabira, sábado, 21 de setembro de 2019 Hora: 12:09

POLITÍCA
Em audiência Nenzinho e Pastor Aílton buscavam habeas Corpus de liberdade que foi negado
11/09/2019

ITABIRA(MG)- Aconteceu nesta terça-feira, 10 de setembro de 2019, no Fórum da justiça de Itabira, desde as 8h30min, uma audiência em que o Vereador Weverton Júlio Limões “Nenzinho” e o ex-diretor administrativo da Câmara municipal Ailton Francisco Moraes, são acusados por cometerem o crime da rachadinha, ambos já estão presos desde 2 de julho deste ano.

De acordo com as informações logo cedo o vereador Nenzinho chegou ao fórum em uma viatura da unidade prisional, ele vestia o uniforme vermelho da Suape, estava com as mãos e pês algemados, o Pastor Ailton Moraes chegou em uma ambulância do presidio, ele também se encontrava algemado, ambos foram levados à sala de audiência na 1ª Vara onde prestariam depoimento sobre as acusações.

Segundo informações os acusados na audiência de custodia seriam ouvidos pela juíza Dayane Rey da Silva, da 1ª Vara Criminal da Infância e Juventude de Itabira. Esse processo segui em segredo de justiça, mas segundo informações 32 funcionários da Câmara foram intimados a prestar depoimentos no caso. Na sala da audiência, estava presente o promotor Renato Ângelo Salvador Ferreira, autor da denúncia e Ação de Improbidade Administrativa.

Segundo informações os depoimentos duraram quase todo dia, os acusados até por volta de 17h20min ainda não haviam sido ouvidos, eles permaneceram sobe escolta dos agentes penitenciários durante todo tempo. Durante a audiência seria analisada a situação da prisão, se ambos permaneceriam ainda no presidio ou se ganhariam a condição de poder responder em liberdade.

Outras informações davam conta que alguns envolvidos nas denuncias que culminaram com a prisão dos acusados, permaneceram em salas separadas aguardando serem ouvidos, o procedimento era para evitar que tivesse contato entre eles, até que fossem ouvidos.

Na ocasião da prisão, o Ministério Público pediu afastamento do vereador Weverton “Nenzinho” de suas funções por 180 dias, Ailton Moraes foi exonerado do cargo de diretor administrativo, o bloqueio de bens dos denunciados, que corresponde aos descontos nos vencimentos dos dois comissionados, no valor de R$ 89.646,46. Também foi pedida multa civil de três vezes esse valor, totalizando R$ 358.585,84.

Ainda foi pedida a condenação dos requeridos pelos danos morais causados ao município de Itabira, em 10 vezes ao valor adquirido de forma irregular, ou seja, de R$ 896.464,60, a ser revertido à Câmara Municipal da cidade ou projetos sociais beneficentes.

No dia 25 de Julho, a Câmara de Itabira convocou o suplente do vereador Weverton Nenzinho (PMN) e Agnaldo Enfermeiro (PRTB), que também teve prisão decretada por “rachadinha”, mas esse permanece foragido da justiça.

Nenzinho e Pastor Ailton após prestarem depoimento na audiência de custodia, retornaram ao presidio Itabira, onde permanecem aguardado presos por novas decisões.

Anoticiasonline.com.br








construtorakellesduarte
INFORMAÇÃO COM RESPONSABILIDADE! Whatsapp: (31) 9 8863-6430
E-mail: contato@asnoticiasonline.com.br
AS Notícias Online 2019. Todos os Direitos Reservados.
Desenvolvedor: SITE OURO

Copyright © 2017 - AS Notícias Online - Todos os direitos reservados.
É proibida a reprodução desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização.